Último disco do Charlie Brown Jr. mostra maturidade e desabafos

Extraído de: correiodemocratico.cultura   Outubro 03, 2013

Capa de ‘La Familia 13′, disco inédito do Charlie Brown Jr. que será lançado em 2013/ Divulgação

Sem Chorão e Champignon para vivenciarem os resultados do mais novo trabalho de estúdio, o último disco do Charlie Brown Jr., "La Familia 013″, vazou na internet com as 13 canções que serão oficialmente lançadas no próximo dia 8 de outubro.

O lançamento foi adiado por dois acontecimentos irreparáveis na biografia do grupo -a overdose de Chorão em março e o suicídio de Champignon em setembro. Nas letras e na musicalidade de "La Familia 013″, que é o 10º disco de estúdio da banda, há mais peso nas guitarras. O CBJR ficou mais maduro. E também mais soturno e introspectivo.

Sempre transitando entre o rock, reggae, pop, ska e skate punk, o grupo de Santos acabou criando um estilo próprio dentro da música brasileira. Elementos como praia, skate, vida urbana, mulheres e discursos sobre vencer na vida costumavam ser uma marca das letras de Chorão, que era chamado de poeta pelos fãs.

Com a morte do vocalista, os remanescentes do CBJR formaram o grupo A Banca , no qual o baixista Champignon assumiu os vocais e Lena Papini entrou para complementar a formação. Com a morte de Champignon em setembro, acabou também A Banca, que estava compondo um disco inédito.

O iG comenta as músicas de "La Família 013″, leia abaixo:

Um Dia a Gente Se Encontra"Separaram a gente, as circunstâncias e as coisas. Então vamos viver, um dia a gente se encontra", canta Chorão em letra que intriga pela coincidência óbvia com o desfecho do grupo. A faixa que abre o disco não deixa dúvidas de que o estilo do grupo se manteve fiel, com peso e estrutura características.

Final Arte
Com sonoridade de reggae, a letra de clima otimista e com o baixo de Champignon bem marcado exalta a "vida vivida de modo simples". Com arranjos conhecidos de uma típica canção do Charlie Brown Jr., fala sobre "Viver com emoção, muito estilo e liberdade".

Cheia de Vida
Letra apaixonada sobre a "dona do sorriso mais lindo", que ajuda a "afastar os problemas" e "traz segurança", em mais uma das declarações de amor (ou desabafo em relação ao amor) presentes ao longo do disco. Guitarras altas e bateria veloz marcam a parte final da música. Um pedaço da letra é o mesmo da música "Você por Perto", composição antiga feita com o músico Edu Ribeiro.

Meu Novo Mundo
Divulgada dias antes da morte de Chorão, causou comoção pela letra que fala sobre "não existir distâncias em um novo mundo". "Fiz essa canção pra mostrar algumas coisas, cuidado com o destino, ele brinca com as pessoas", canta Chorão. A levada da música é lenta, sendo uma das mais soturnas do disco.

Do Jeito Que eu Gosto, do Jeito Que eu Quero
"Vem que eu te quero também, menina linda". A letra fala sobre paixão, sexo e sedução. "A vida é uma boca a ser beijada, mas a vida só gosta de quem gosta de viver", diz o vocalista com certa melancolia. Os riffs se repetem desde o começo e a bateria é tocada em andamento mais lento, o que deixa o clima mais tenso.

Rock Star
Na metade do disco, a faixa é levantada pela bateria e guitarras mais destacadas. Com elementos de rock e ska, caracteriza o ambiente vivenciado pelo grupo. "Quem curte skate, rock, rua, praia, fuleiragem", comenta na letra. Chorão manteve por nove anos, em Santos, uma pista de skate que levava seu nome. Recentemente, o local fechou por falta de recursos financeiros.

Vem Ser Minha
Mais uma música sobre o amor com levada de reggae. "Me dê você de presente, faça dessa noite um sonho", diz Chorão antes de pedir "vem ser minha namorada, vem ser minha gata". Uma das faixas mais calmas do disco, traz alguns versos da faixa "Do Jeito Que eu Gosto, do Jeito Que eu Quero"

Hoje Sou eu Que Não Mais te Quero
Depois de uma música apaixonada sobre um pedido de namoro, "Hoje Sou eu Que Não Mais te Quero" vem com letra magoada e levada de MPB. "Nós nos perdemos pelo mundo, dia após dia, cada um no seu mundo", canta. O violão dá lugar a camadas de guitarras na metade final da faixa. Uma das músicas mais obscuras de "La Família 013″.

Camisa Preta
Em instrumental, certamente a mais pesada do disco. Quase destoa do conjunto de músicas pelo efeito das guitarras. "Somos poucos, mas somos loucos", fala na letra. Única faixa que dá espaço para um grande solo de guitarra, com duração de dois minutos, que flerta com bandas de heavy metal.

Vou me Embriagar de Você
A letra ressentida fala sobre "ter de volta o meu lugar" em um relacionamento em crise que refletia o momento vivido por Chorão em seu casamento. A música é calma e de apelo romântico. "Eu não vou a lugar nenhum sem você/ Não tenho lugar pra voltar/ Eu estive só, estive sozinho/ Quanto tempo foi perdido", lamenta.

A Mais Linda do Bar
Com uma surpreendente guitarra de blues, mostra um outro lado do Charlie Brown Jr, mais clássico e romântico. "Eu quero a garota mais linda do bar, me dá uma chance para eu poder provar/ Que o mundo pode ser seu, meu mundo pode ser seu", canta em tom de conquista, apoiado por solos de guitarra.

Samba Triste
A penúltima faixa pertence à leva mais obscura de canções e não tem características estruturais de samba como sugere o título. "Enquanto o mundo dá voltas, a gente faz tremer o chão", promete o cantor seguido por frases de estímulo. "Se disserem pra você que você não vai conseguir, deixa falar, deixa sorrir/ Já disseram isso pra mim e olha aqui meu microfone", desabafa.

Constrastes da Vida
Para fechar o disco, uma letra introspectiva em canção acústica. "Mesmo os mais fortes, às vezes, não encontram uma saída", canta, quase em tom de justificativa. "Vivendo e aprendendo a viver com os contrastes da vida/ Quando tudo se torna previsível e não se espera mais da vida", diz Chorão em uma das músicas mais doces do disco.

Autor: Vinculado ao correiodemocratico.cultura


 
 
Deixe seu comentário



Siga o Fofoki