Cultura Exposição em SP apresenta estudos inéditos do modernista Antonio Gomide

Extraído de: jb.com.cultura   Outubro 06, 2013

A partir do dia 12 de outubro, as linhas sinuosas e sensuais do artista brasileiro modernista Antonio Gomide (1895-1967) estarão em exposição na Caixa Cultural, no centro de São Paulo. São cerca de 50 obras, entre aquarelas, desenhos e gravuras, além de estudos para futuros trabalhos que nunca haviam sido expostos e que foram cedidos pela família do artista.

A mostra Gomide, Um Modernista entre Paris e São Paulo, apresenta o trabalho produzido pelo artista entre os anos 1920 e 1960, tanto no Brasil quanto na Europa. "Gomide era um artista completo. Dominava todas as técnicas de desenho, de gravura, de escultura e de pintura", disse o curador Alberto Beutenmüller em entrevista à Agência Brasil.

Além de pintor, escultor, decorador, Gomide era também professor. Entre 1913 e 1929, viveu e estudou na Suíça e na França, onde entrou em contato com artistas europeus ligados aos movimentos de vanguarda. De volta ao Brasil, sua arte passou a refletir o país, com ênfase na sensualidade e no ritmo das figuras africanas.

"Antonio Gomide é um dos mais importantes modernistas do Brasil, mas ele não participou da Semana [de Arte Moderna] de 22 porque estava na Europa", disse Beutenmüller.

Suas obras aliam formas abstratas a motivos indígenas ou composições com paisagens e temas nacionais. Foi um dos responsáveis por introduzir o estilo art déco [termo de origem francesa que se refere ao estilo decorativo em que predominam as linhas retas ou circulares estilizadas, as formas geométricas e o design abstrato] no país, junto com sua irmã Regina Graz e o cunhado John Graz. 

O grande objetivo da exposição, destacou Beutenmüller, é reforçar a importância da obra de Gomide para a arte brasileira. "O que estamos tentando fazer é colocá-lo no lugar dele. Gomide é um artista da máxima importância, mas que ficou meio esquecido aqui no Brasil", ressaltou.

A exposição Gomide -Um Modernista entre Paris e São Paulo é gratuita e ficará em cartaz até o dia 8 de dezembro no espaço Caixa Cultural São Paulo, na Praça da Sé, 111 -próximo à Estação Sé do Metrô.

Autor: Vinculado ao jb.com.cultura


 
 
Deixe seu comentário



Siga o Fofoki